terça-feira, 27 de novembro de 2012

Rakdos


A abominação de fogo e corrupção, Rakdos, o Profanador e Senhor dos Tumultos, é o lorde demônio fundador da guilda mais assustadora de todas - o Culto de Rakdos - e foi um dos paruns (fundadores das Guildas de Ravnica). Caprichoso e megalomaníaco, ele quer que tudo aconteça em escala grandiosa. Em um momento rugindo de satisfação ao assistir seus espetáculos, no outro ordenando que os artistas sejam queimados e rindo cruelmente enquanto eles morrem. Quando Rakdos está acordado, ele é o centro total das atenções. Suas vontades são atendidas, sejam assassinato ou mutilação, e nada é poupado para agradar ao mestre. Quando Rakdos dorme por dias seguidos, os membros do culto diminuem o ritmo e promovem apenas a morte e a desordem. A atmosfera em Rix Maadi se torna mais política e manipulativa quando as bruxas de sangue lutam pelo controle. E então Rakdos acorda e tudo se torna uma orgia de sangue e caos novamente.

No momento da assinatura do Pacto das Guildas, o Profanador foi um dos paruns que não se sentiu confortável com o acordo; mas logo concluiu que era melhor que fizesse parte do Pacto para que não fosse oprimido por ele no futuro. Após o Pacto, Rakdos continuou a fazer o que sempre fez: esmagar, matar e comer. O demônio entreteve-se com os cidadãos de Ravnica por milhares de anos, mantendo um culto de personalidade cujos números só não aumentavam por causa da alta taxa de mortalidade da guilda. No entanto, para a sorte das pessoas em Ravnica, o Profanador mantinha-se durante a maior parte do tempo adormecido nas profundezas do Submundo, enquanto seus seguidores espalhavam o caos e a matança pela superfície.

A última vez que Rakdos despertou foi durante a Inssurreição, graças às ações da cultista Izolda. Tendo permanecido na liderança da guilda durante as centenas de anos que seu parun esteve adormecido, Izolda queria despertar Rakdos e tomar o controle dele para causar o caos em grande escala. Para o ritual funcionar, ela usou fluído cerebral dracônico, fornecido por Momir Vig e retirado do cadáver de um dos dragões mortos em Utvara; e do sangue de um líder de guilda – neste caso, foi utilizado o de Myc Savo Zunich, o filho do recém consagrado líder Golgari, Jarad. Isto fez com que os Golgari entrassem em conflito com os cultistas e intervessem. No entanto, o ritual não foi interrompido a tempo, o que resultou na libertação de Rakdos.

Faminto, após centenas de anos adormecido, Rakdos rumou até a superfície devorando todos que via pela frente e com isso aumentando sua força. Ele parou finalmente aos pés de Vitu-Ghazi, o líder Selesnya, onde planejou causar a maior rebelião já vista desde a assinatura do Pacto das Guildas. O Profanador chegou a atacar os muros da Árvore-Cidade permitindo que um enxame de ratos infernais invadissem o local. Momentos mais tarde, Izolda terminou seu ritual, matando o filho de Jarad e assumindo finalmente o controle da mente de Rakdos.

Sem que ela soubesse, os Simic conheciam seus planos e planejavam usar o Experimento Kraj para derrotar Rakdos. O demônio lutou com o ser medonho criado por Momir Vig e, na batalha épica que se seguiu, o parun acabou sendo absorvido para o interior do corpo do monstro. Isto pôs Rakdos em um coma e também paralizou Kraj. Izolda recebeu todas as lesões que haviam sido infligida sobre Rakdos durante a luta, assim, entrando em coma também. Logo depois ela foi comida viva pelos insandecidos cultistas que a rodeavam.

Após Kraj ter sido desmembrado por membros do Conclave Selesnya, o corpo de Rakdos permaneceu em torpor, embora ainda vivo. Mais tarde, Pena, o líder Boros que assumiu a chefia no lugar da falecida parun Razia, despejou o corpo de Rakdos de volta em seu poço de lava em Rix Maadi.

O destino do Culto de Rakdos após isto tornou-se incerto. Os Golgari formaram a um grupo para ajudarem à levar o corpo de Rakdos de volta até seu local de repouso, na esperança de obter vingança sobre os cultistas, mas a maioria deles já estavam muito ocupados lutando entre si.

Nenhum comentário:

Postar um comentário